quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Fruto proibido

Cada paixão vale a pena se cultivarmos a arte de destilá-la.
Ao florescer, mexe com velhas estruturas que poderiam estar criando ferrugens invisíveis.
Ao se transformar em amor, ensina, em um processo prático de experimentos conjuntos do que é, mais do que seria, o humano.
Em caso de desilusão, um pouco de habilidade quase culinária pode levar o gosto amargo a fermentar e resultar em poesia da mais verdadeira.

Nota de esclarecimento

Outra impressão interessante que muita gente teve sobre o meu livro, e que gostaria de aproveitar o blog para esclarecer é: não, as histórias não foram baseadas em personagens ou dramas reais, a não ser quando eu deixo isso claro no livro.
Sei que é tentador relacionar as coisas, desculpem, mas não é o caso.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Palavras

As palavras são “multimoduladas”, carregam reverberações de outros significados, que elas colocam em movimento, apesar de nossos melhores esforços para cerrar o significado.
(Hall, 2006, p. 41).