domingo, 30 de maio de 2010

Punição e consequências

Ninguém é preso por falta de ética, não importa o mal que cause.
Talvez isso seja um resquício de esperança que alimentamos em uma sociedade em que nem tudo precisa gerar punição para ser respeitado.
Talvez isso seja apenas conquista daqueles para quem a ética não passa de uma palavra forte no discurso; um instrumento de autopromoção sobre os tolos que acreditam fazer algum sentido ou ter alguma importância. 
Não importa as variações da palavra; existe um entendimento geral sobre o tema, especialmente nas crises e em contextos comuns.
Existe o discurso e existe a possibilidade de concretizá-lo.
Escolher entre um e outro pode dar a tônica de toda uma cadeia de relações.
Porque afinal, mesmo o que não gera punição tem consequências.

2 comentários:

  1. Realmente a ética que impera é a da justiça! Que justiça? A VINGANÇA!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Acaba por ser assim, muitas vezes. Às vezes vingança pura, às vezes atitudes que levem a pensar melhor, às vezes lições de vida. Mas acho que mesmo inconscientemente não deixamos passar em branco quando nos faltam com ética.

    ResponderExcluir