sábado, 12 de maio de 2012

Do radicalismo


Nunca ouvi falar de genocídio em nome do ateísmo, ou de apedrejar uma pessoa em nome do ateísmo. Nunca vi um ateu desejar a morte de alguém que simplesmente se declara religioso, não conheço confinamento ateu ou ameaças eternas a quem não for ateu. Ainda assim, algumas pessoas me perguntam se os ateus são muito “radicais”.
Como em qualquer grupo, existem diferenças imensas de pessoa para pessoa. Ainda assim, se eu fosse montar uma opinião com base na história da humanidade, suas inquisições e torturas, não seriam os ateus quem eu chamaria de radicais.