sexta-feira, 18 de abril de 2014

Corrupção


Não é corrupto só quem toma a decisão de ferir a justiça. É corrupto quem participa do processo, ciente de que a ação é ilícita ou prejudicial, e eu arrisco dizer que é corrupto quem poderia saber a que fim sua ação se destina, mas evita o conhecimento, para não ter a consciência da contribuição com o mau. 

É corrupto quem diz “não posso fazer nada” quando na verdade não quer nem tentar. É corrupto quem diz “a decisão não foi minha”, quando o ato ilícito não seria possível sem os executores da ação. É corrupto quem diz “se não fosse eu, seria outra pessoa”, pois é um colaborador do sistema corrupto. 

Cada um pode buscar no inferno as racionalizações e justificativas particulares sobre a própria corrupção. Isso não faz de ninguém honesto, apenas mais um corrupto que acha que tem motivos para sê-lo. 

domingo, 13 de abril de 2014

Chato

Ninguém gosta de ser considerado chato, ou de pensar em ter algo chato em sua vida. Mas afinal, o que é o chato? Segundo o dicionário Aulete, é chato o que é “Sem atrativos, desinteressante, monótono; que chateia ou entedia (conversa chata; orador chato); MAÇANTE; ENTEDIANTE.”
Mas será que isso é suficiente pra abolirmos a chatice de nossas vidas?
Já assisti filme chato, que deu sono enquanto via, mas que depois me ajudou a explicar mil situações e eu acabei recomendando pra pessoas que poderiam fazer bom uso deles. Já li livros chatos, com linguagens desnecessariamente rebuscadas, que na hora me faziam querer afastar aquilo de mim, mas que acabaram mudando minha visão de mundo. Já fui amiga de gente chata, que me desafiou a sair das minhas mais quentinhas zonas de conforto e me ensinaram que a sua chatice era pra onde eu precisava crescer.

Adoro o que é legal, relaxante, prazeroso. Mas negar de antemão qualquer experiência porque parece chata é perder a oportunidade de ampliar o olhar pra tanta coisa, que chato acaba ficando você.